Escritos do Cláudio
Não importa quem sou .Importante sim, de que me sujo.
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Contato Links
Textos

REFÉM DA SOLIDÃO

 

No primeiro bar eu entro

Seja no canto ou no centro

Eu me sento e busco consolo.

 

Depois que você me deixou

Já não sei mais quem eu sou

Eu só sei que fui muito tolo.

 

Eu fico esperando você chegar

E me arrancar da mesa do bar

O tempo passa e você não vem.

 

E quanto mais você demora

Uma saudade forte me devora

Da solidão eu já me sinto refém.

 

Acho que não tem mais conserto

Está ficando muito alto o preço 

Dentro do peito tem doído demais.

 

E quanto mais eu choro e bebo

Mais reconheço os meus erros

Que para o um amor foram fatais.

 

Cláudio Antonio Mendes
Enviado por Cláudio Antonio Mendes em 19/06/2022
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
O CASTELO DE ALICE Cláudio Antonio Mendes R$ 35,00 VERSOS INFECTANTES: (MÓ)MENTOS DE UMA PANDEMI... Cláudio Antonio Mendes R$ 10,00 O HOMEM & SUAS PERDAS Cláudio Antonio Mendes R$ 20,00 DECALOGIAS POÉTICAS Cláudio Antonio Mendes R$ 20,00 UNI VERSOS Cláudio Antonio Mendes R$ 20,00
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Contato Links