Escritos do Cláudio
Não importa quem sou .Importante sim, de que me sujo.
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Contato Links
Textos

EU CONFESSO MEU DESENCANTO

 

O olhar rígido, preciso

Vasculhando o paraíso

Em busca da flor perfeita

Entre o circo e a seita.

 

Vagando em ondas frias

Pelas ruas tortas e vazias

Na busca da flor incerta

Em qualquer porta aberta.

 

O que define cada momento?

A bota que pisa em cadáveres

Ou os pés sujos de excremento?

 

O olhar frio em busca de fogo

A mão esmaga a peça do jogo

Enquanto incertezas domam

Um coração que se deforma.

 

Eu confesso meu desencanto

E a lágrima cai como prova

Que dentro há desabamento

Cavando minha própria cova.

 

O que define a razão de viver?

A biografia que não será lida

Ou o raro momento de prazer?

Cláudio Antonio Mendes
Enviado por Cláudio Antonio Mendes em 01/03/2022
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
O CASTELO DE ALICE Cláudio Antonio Mendes R$ 35,00 VERSOS INFECTANTES: (MÓ)MENTOS DE UMA PANDEMI... Cláudio Antonio Mendes R$ 10,00 O HOMEM & SUAS PERDAS Cláudio Antonio Mendes R$ 20,00 DECALOGIAS POÉTICAS Cláudio Antonio Mendes R$ 20,00 UNI VERSOS Cláudio Antonio Mendes R$ 20,00
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Contato Links