Escritos do Cláudio

Não importa quem sou .Importante sim, de que me sujo.

Textos

ESTILHAÇOS

 

O vento seco não importa

A porta segue aberta

Aguardando a sua volta.

 

A saudade arfando no peito

Eu no meu desajeito suspiro

E me firo em minha tristeza.

 

Sobre a mesa o velho caderno

Embriagando-se com meus versos

Morrendo de cirrose celulósica.

 

O latido do nosso cão bom de faro

Acuando a agonia que ronda

O singelo casebre que te espera.

 

Sua partida foi o fim de várias coisas

A caneca com resquícios do último café

Quis se fazer em cacos jogando-se contra a parede

Misturando-se aos murmúrios do nosso retrato.

 

A secura do vento bafeja em meu rosto

Escombros do nosso castelo de sonhos

Mas eu vejo nos estilhaços do espelho

A mão da esperança me pedindo calma.

Cláudio Antonio Mendes
Enviado por Cláudio Antonio Mendes em 19/12/2021
Alterado em 19/12/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Tweet
O CASTELO DE ALICE Cláudio Antonio Mendes R$ 35,00 VERSOS INFECTANTES: (MÓ)MENTOS DE UMA PANDEMI... Cláudio Antonio Mendes R$ 10,00 O HOMEM & SUAS PERDAS Cláudio Antonio Mendes R$ 20,00 DECALOGIAS POÉTICAS Cláudio Antonio Mendes R$ 20,00 UNI VERSOS Cláudio Antonio Mendes R$ 20,00