Escritos do Cláudio

Não importa quem sou .Importante sim, de que me sujo.

Textos


A INDIGESTÃO
 
Mastigando o ódio do sistema
Mastigando arroz e feijão apenas
Mastigando a própria língua
A lida do dia infestada de problemas.
 
Bebendo o sangue do vizinho
Concorrendo as migalhas premiadas
E mexendo o corpo com os olhos
A vida curtida em banho-maria.
 
Ninguém me disse que seria difícil
Na escola não se cola mais nada na mente
Na igreja não se deseja mais o paraíso
No bar é que se embarca em fantasias.
 
O carnaval no canavial com sol a pino
O açúcar que não adoça mais a prisão
A usina que não refina o meu destino
É um desatino acelerando o coração.
 
Quando eu chego à minha casa mastigo
A memória da falta de opção
A história da família fatiada pelo mundo
A histeria que gera a indigestão
E a mim
Na mão do desejo roubado da ilusão.

 
Cláudio Antonio Mendes
Enviado por Cláudio Antonio Mendes em 17/05/2021
Alterado em 17/05/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Tweet
O CASTELO DE ALICE Cláudio Antonio Mendes R$30,00 VERSOS INFECTANTES: (MÓ)MENTOS DE UMA PANDEMI... Cláudio Antonio Mendes R$20,00 O HOMEM & SUAS PERDAS Cláudio Antonio Mendes R$20,00 DECALOGIAS POÉTICAS Cláudio Antonio Mendes R$20,00 UNI VERSOS Cláudio Antonio Mendes R$20,00