Escritos do Cláudio

Não importa quem sou .Importante sim, de que me sujo.

Textos

ISSO NÃO É ONDA

Quando entrei naquele trem, deparei com os vários rostos cansados. Volta do trabalho. Cada face é capa de um livro de história. Os homens dos andares superiores não sabem o aperto que é aqui no porão da sociedade. Reconheci a minha mãe no seu canto de sempre. Ela ainda carrega aquela lágrima petrificada encrustada em mais uma ruga no seu rosto. Ela me dizia sempre para eu largar aquela vida de surfista ferroviário. Não levei a sério. Um dia foi a vida que me largou. Ah, como eu gostaria de pedir — Mamãe, me perdoa. — Aproximo espremido entre suores e tristezas e lhe dou um beijo na testa. Ela sente uma brisa leve como agrado de mais um anoitecer.
Cláudio Antonio Mendes
Enviado por Cláudio Antonio Mendes em 02/02/2019
Alterado em 02/02/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Tweet
DECALOGIAS POÉTICAS Cláudio Antonio Mendes R$21,00 O HOMEM & SUAS PERDAS Cláudio Antonio Mendes R$20,00 UNI VERSOS Cláudio Antonio Mendes R$20,00 VERSOS INFECTANTES: (MÓ)MENTOS DE UMA PANDEMI... Cláudio Antonio Mendes R$25,00